Learning part V:


Brincar de viver é parecido com tomar tabuada, basta errar umazinha pra já ter uma cara feia te olhando ou ganhar um chapeuzinho com orelhinhas de burro …
Ou melhor ainda, é como uma eterna aula de Português, sabe aquelas de “conjugação verbal”?! Então, tá duvidando? Vou te provar:

1-Quem foi que nunca colocou uma situação passada e encerrada como problema presente?

2-Quem nunca viveu de recordar se colocando no futuro?

3-Quem nunca fez uma conta de 1+1=3?
Ou ainda, que vive meio do presente, mas desejando um futuro mais que perfeito?

Hipoteses…possibilidades, questões…pensei demais e perdi uma chance. Ou não pensei e fiz errado… Sabe, certo e errado não existe e eu volto a repetir isso aqui! Existe sim, o que se faz e o que se deixa de fazer e basta!

E no fundo, no fundo é mesmo simples assim. Eu acho que agora entendo quando escuto falar sobre um monte de coisas de antes, que me sinto até capaz de ajudar os outros. Porque eu meio que aprendi e aceitei muita coisa, mas mais e melhor que isso, eu pude mudar muita coisa também que não me faziam mais sentido ou que simplesmente tomava muito o meu tempo. Mas isso levou tempo e eu queria que alguém tivesse me ajudado, mas tudo bem.

As vezes eu me recordo da frase: “ter um esqueleto guardado no armário” e cada dia que passa eu me convenço de que isso na minha vida não tem mais espaço! Pra seguir adiante a gente precisa terminar muitas coisas do passado. Aceitar muita coisa, não simplesmente só se conformar com elas, porque fazer isso é meio que só viver pela metade, entende?!

E eu não me contento com pouco, porque eu aprendi a deixar o passado no lugar dele, bem longe de mim. Eu aprendi que tudo pra mim não basta, que tudo ainda pode ser nada e é isso que me faz querer continuar e ser melhor e melhor: o querer sempre mais.

Eu sei, eu sei é facil depois que a gente aprende e a mesma regra não funciona pra todo mundo, além de que isso é só mais um grande clichê, mas a vida é um jogo vamos ter coragem pra admitir isso!

Todo dia alguém ganha, todo dia alguém perde e tudo são sempre escolhas e escolhas sempre serão feitas; senão pela gente por outros.

Podemos a partir de agora parar de pensar demais, de complicar demais, de teorizar demais… e simplesmente fazer?! Se der certo bem, senão, a gente tenta de novo, com outro alguém e até conseguir o que se busca, quando descobrir o que for. Porque a gente sabe que o que conta no final não é na verdade as oportunidades, mas sim, as escolhas. Uma vez que, a oportunidades somos nós quem fazemos (bem, eu acredito muito nisso…eu me forço a acreditar nisso!).

Eu perdi muita coisa, eu abri mão de tantas outras. Eu ganhei muito mais do que eu esperava e isso não é o final das contas, não pra mim e eu seguramente não me arrependo de nada!
Sabe, eu me dei conta de que tempo não foi feito pra ser disperdiçado, de que tudo tem o seu próprio tempo, de que o tempo foi feito pra ser dado de vez em quando, de que tudo importa mesmo sem fazer sentido…Engraçado né, tem coisas que a gente não estava preparado e mesmo assim isso não impediu de que elas acontecessem.

É obvio que as vezes o tempo simplesmente não espera pela gente, mas o que se esta vivendo é justamente aquilo que se dá conta porque senão não teria razão de ser realmente, não iria fazer sentido, concorda?!

Mesmo assim, por quê será que nós, todo mundo de um modo geral, gostamos tanto de complicar as coisas simples?
Bem, isso eu ainda não sei e também acho que nunca vou descobrir – Essas questões primárias são mais intrigantes do que parecem. Eu me assusto ainda com a incrível mania de hiperlativisar e hiperrelativisar todas as coisas que as pessoas tem. Inclusive até eu mesma de vez em quando, mas eu estou ficando melhor com isso também!
Ok tudo é relativo eu sei, e assim sempre será mas foda-se tente; vá viver, quebrar a cara é normal e ninguém morre de tentativa, ok se machuca as vezes, machuca alguém altro mas isso é normal! É isso que faz a gente crescer de verdade!

Ter sonhos é bom e dizem fazer bem, acho que por isso eu tenho escolhido fazer e acontecer. Ah, e já que não me importa muito qual vai ser o tamanho do tombo, já que vai machucar mesmo, então vamos apostar todas as fichas mas sem esquecer de guardar algumas pra, no caso de dar alguma coisa errado poder ainda voltar pra próxima rodada…

O aqui e o agora já passaram e eu estou indo com eles…
Você também vem?

Fui!

Tags: , , , , , , , , , , , ,

7 Responses to “Learning part V:”

  1. Carol Vallu Says:

    Ok, esse texto tá meio confuso eu sei, mas foi escrito pra um bom amigo que eu espero ter ajudado de alguma forma compartilhando um pouco do que já passei, dividindo algumas experiências que eu já vivi etc.
    E no final eu só desejo que ele não esqueça da parte de que “nada novo surge no lugar de algo ainda velho. É como tentar plantar uma planta num vazo cheio de raizes mortas; a semente atÉ brota, mas morre rápido pq nao tem nutriente na terra e nem espaço p crescer dps de um tempo” 😉
    Se cuida pessoa!

  2. Topsy Says:

    […] This post was mentioned on your Twitter (yeah I follow you) and often I saw they I need to confess that I really like what I can understand in here. You have talent girl my compliments. Big xoxo Topsy […]

  3. Jessega Says:

    Sabe Carol, o amor adormece dentro de nós. Muitas vezes age com uma criança mimada, se esperneia e custa a ficar quietinha… Quando algo deixa de existir no nosso cotidiano, nunca deixa de existir em nós, apenas adormece. Às vezes desperta um pouco, tem umas noites de insônia, atormenta nossos dias e pensamentos mas isso passa pra virar lembrança. E sim, antes temos que deixar acontecer, arriscar, falar, deixar orgulho bobo de lado que se torna um obstáculo pra ir lá e se declarar. Já fiz, já arrisquei e agora estou a ninar essa criança mimada, a quem dei atenção demais e quero que se torne lembrança de dias bons.
    Beijos amiga.

  4. Leandro Says:

    Sempre que passo por aqui leio algo que me faz refletir sobre a vida. Muitas vezes (na maioria, eu diria) deveríamos deixar o passado no seu devido lugar. Mas o que fazer com as boas lembranças? Sugiro que boas doses de boas lembranças devem ser administradas algumas muitas vezes na vida, trazendo sensações de bem estar e algumas vezes um efeito colateral de ser pego rindo sozinho(a).
    Um grande beijo do amigo que não te esquece (jamais!)

    • Carol Vallu Says:

      Ai Le que saudade de vc! Acho q tenho frequentadores super assiduos e do bem, um deles sem duvida é vc! Que bom que se surpreende, gosto desse efeito que causo nas pessoas😉
      Vc precisa aparece mais online ou me ligar como fazia antes, gostava tanto….

      Bjus tbm te esqueci nao viu (jamais) 😉

  5. André Says:

    Pior que tudo que voce mencionou aí faz sentido pra mim. É bem complicado deixar o passado de lado sendo que ele te segue de alguma forma. Me marcaram profundamente e é dificil ignorar quando a gente ve que a outra pessoa que voce gosta tanto está passando por problemas. Mas como é uma situação meio que impossivel de se resolver, a gente vai aprendendo a lidar com isso. Obrigado pelo apoio Carol!

    • Carol Vallu Says:

      Que bom Dede que fez sentido pra ti! Fico feliz em ter ajudado serio mesmo🙂
      As vezes acho que meu blog serve mesmo pra alguma coisa alem do fato simples de eu poder me expressar como bem entendo
      To sempre aqui, ali, quando precisar ja sabe neh: disponha!

      bju bju

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: