Archive for the ‘about me and I’ Category

Letters to Myself | part II

January 5, 2012

Dear future me,
I hope you are smiling and thinking actually how lucky you are to have the people around you that you do.
You are beautiful, sexy, remarkably smart and are able to get everything you deserve and want with or without any “fantastic guy who you love more than anything in life”.
Don’t bother, people sometimes act in a way which they will eventually regred for the rest of their lives.
Preserve yourself, don’t put all your faith in others.
You are awesomely goooorgeous, you are doing great and getting stronger every day.
So believe me when I say that you are allowed to be happy… and you shouldn’t feel any guilty about it!
Don’t let anyone to put you down.
Chin up girl!

p.s: If people want to step out of your life, be gentle and hold the door open for them.

Regards,
the old you

I’m now in charge of our heart.

Twenty secrets I’m willing to share

December 27, 2011

– I’m bisexual, yes I like being with boys and girls equally.
– I have BPD (Borderline Personality Disorder) and I’m fine with that.
– I do drugs (sporadically) and my family knows that.
– I lie a lot and I’m pretty damn good at.
– Sometimes I purge/starve myself because the idea of getting fat freaks me out.
– I enjoy good porn.
– I often talk with strangers about everything and nothing.
– I’m fearless, I do EPIC SHIT and I feel proud most of time.
– Make up sex is awesome!
– It usually takes me ages to hate somebody but once it’s done it’s like FOREVER.
– I do shortcuts in life and I normally do not rationalise the consequences.
– I copy others as it please me.
– Sometimes I forget of having shower.
– I’m a bit stingy.
– I’m constantly planning revenge.
– I’m a over thinker and overreact to basically everything.
– I always forget names but not faces.
– I enjoy being in pain, it makes me feel alive.
– I’m addicted to internet and my favourite sport is arguing.
– I don’t believe in God but I accept the existence of Devil.

I’M NOT PERFECT AND IT’S PERFECTLY FINE!

.

img via Tumblr

#Aspas

December 23, 2011

somewhere between “already too far to give up” though “too tired to carry on”

I dream the dream of you

Letters to Myself

December 20, 2011

Dear future me,
I will not deny that I’m quite confused about your future…
However I just wanted to say that whatever happens you’ll still have a way of fixing things.
There is always a way! You just need to calm down and see things get sorted out.
I believe in your high potential to make up things once again.
Don’t give up.
I trust you to make us happy!

Sincerely,
the old you

That's the idea, not the ideal.

No regrets

December 15, 2011

“So, I guess we are who we are for alot of reasons. And maybe we’ll never know most of them. But even if we don’t have the power to choose where we come from, we can still choose where we go from there. We can still do things. And we can try to feel okay about them.”

.

2011 reasons to forget

December 12, 2011

The year did not ended yet but I’m already done, actually I’m done with this shit since it started! Let me put things into perspective: 2011 was HELLISH for a lot of reasons, a waste of time and energy and I pray to forget most of my days… but first my year in review:

January: It was from far beyond the most promising month for the entire year! I started 2011 in London watching fireworks at The Weir with my lovely boyfriend. We celebrated the New Year’s Eve among friendly people, was an amazing start! G.N.B. and I were so in love that everyone could easily see it. We took gorgeous photos to never forget that night.

February: After an wonderful Valentine’s Day in London I was forced to handle over my adorable flat in Milan. Consequently I lost 50% of everything I had, including new stylish furniture just bought, MFW with all its clothes and glamour, I also lost clients and friends. I started to face legal issues with my staying in Italy. As a positive sign I’d the opportunity to improve my English while trying to fix my situation from London, living with boyfriend and it was a good trial for what we’d planned for the future. Despite the stress we did great that time.

March: On the 18th I left London flawing back to Brazil after a troubled but extraordinary 7 weeks living with boyfriend and his sister. I got used to have him 24/7 and I loved to know he was looking forward to have us settled down as soon as he bought his own flat. I was hopeful about my future. He was certainly of having me as the one in his life forever and ever. He told me what I needed to hear. I believed.

April: Being an ocean apart is not easy especially having enemies messing around spreading horrible rumours about my person. This was what I had, boyfriend and I falling apart by miles away, new lies almost every day plus hundreds of thousands of spam in our inboxes.

May: On the 20th I left Brazil and I flew back to London for my boyfriend’s birthday and extra weeks together before I go to collect my remaining belongings in Italy. Meanwhile we looked for flats and we went to the country side a few times. I was totally into his family and we did a lot of plans for the future. We forgiven ourselves and got back on track which was fabulous. Happy times.

June: On the 16th I became a nice, although Miguel was a premature babe my sister handle it well, I hated being over sea for the first time in my life. However I spent a fabulous time with the family I’d chose in Macerata-IT. From the 19th Diana, Maurizio e Linda filled in my days with happiness for 3 weeks! I made new friends and I went to the beach almost every day. I couldn’t be happier I was in acceptance with my current situation. Boyfriend travelled over there to visit me for 4 days staying. We argued for silly things…

July: I moved into a lovely new flat in Brentford with boyfriend. All was very exciting and fresh at the beginning but with him working crazy hours and me dedicating 6 days a week studying at home with no one else to talk, or share my doubts inevitably things turned into a hell very quickly. I was needy, he was stressed. Unexpectedly something got broken between us and we start to lose trust and that wonderful bond of being in love.

August: I did my IELTS test and I got my certification with proud but it wasn’t enough to apply for my visa. Deception. I also didn’t had the guts to celebrate my 28th birthday because to be honest the only thing I wanted was to die… Clearly depressed once again I saw myself becoming a monster. Yet I denied. I went from 53kg to 44,7kg in 5 weeks, I cut myself uncountable times, I cried myself to bed every night and I tasted the bittersweet taste of the “normal life between a young and immature couple with plenty of adjustments to be done”. I read 2 books in a month, more than 1100 pages in English and I carried on reading…

September: Books became my best friends apart from the guys and girls I’ve met online. I kept trying to be the perfect house-wife, cooking delicious meals every night, cleaning every day, ironing all his shirts to make sure he would have nothing to do over the weekends. I completely forgot about me and the things I liked to, plus I couldn’t properly make any plans as I was financially broken after 6 months without working. Sadly I realised that my relationship was going down sharply… I had my breakdown.

October: I flew back to Brazil with only one luggage of 23kg and boyfriend. It was quite exciting and a huge step for me to finally introduce him to my family. We spent a fantastic and lovely time in my homecountry, it was 4 days  in Rio de Janeiro and other 6 in my hometown Brasilia. It was good for both of us to reconnect and find the strength to carry on with our promising relationship (despite the problems we do great!). After the 16th I start seeing the wrong friends, I was going out almost every night, I got drunk and high A LOT and this was how I started to learn how to be here and not there… I also got a crap job which I quit after 7 days. The reason: simply because I deserved better than that. With a lot of spare time I started seeing a new psychiatrist mainly after my 3rd attempt of suicide. I wasn’t okay and I was alone.

November: Constant ups & downs filled out my days. I was harshly ignored by the love of my life and all my attempts of getting his attention back failed. He did just not hurt my pride but finally broke my heart by being so cruel. Hangovers became routine once again, I ended up twice my nights in a hospital room. Better later than ever on the 23th I slowly began to understand what real friends were trying to show me: – G.N.B. abandoned me when I most needed him, he was nothing but insensitive and fucking yeah selfish. Was tough but I finally learned once for all that I cannot count on anyone else but me. So I decided to love and fully accept my self being as the way I am. I will not deny that I thought would be easy to just break up with him, but true love isn’t about taking the easiest path so I forced myself to be patient and calm enough to wait for things to mend itself. Now I kinda see that he was hurt as well. Luckily we are still together (although steps back in our relationship) now re-learning how to stick once again. Family is everything and I got news that I wasn’t ready for. Two important people passed away and so far I did not understood how this worked on me. I’d help and support from a few good friends and I am really thankful for you all! Pedro, Teodoro, Michael, Leandro, Alie and Diego I do not even have words enough to thank you guys for trying to open my eyes, wipe my tears, listening to my silence, chat with me lately at night, tickle me expecting me to laugh. Thank you too for forcing me to eat and teach me how to breathe again. Thank you for being by my side even when I was wrong and for all those daily messages. And G., my love, I thank you too for making me even stronger.

December: Only more 3 weeks to go through this hell but now I dare to say that I am in peace with myself. I will not deny that it’s Monday and I’m not feeling 100%  however I still truly believe that very soon everything will be back in its right places. I miss “Home” oh, fuck yeah I really do! But right now I’m kind of enjoying vacations in Brazil.

2011 on a frame

#Simplicity

November 17, 2011

Why to complicate things if we can make them easy?

I’m done trying.
If you want me in your life let me know.
Bye.

That is it…

November 16, 2011

I always thought my last public post would be something great, full of meaning etc.
Ha! typical… I guess I was wrong!
The truth is that Twitter is causing me troubles, WordPress is causing me troubles too, Facebook, Tumblr, Posterous, Google+ and so on… So, well, seems that I must get over this shit for a while otherwise I won’t be able to save the “us” that still left between my boyfriend and I.
Of course I’m not going to be such an idiot to shutdown my public profiles but I will keep things quiet, I will keep thoughts and comments to myself because there’s nothing that I want more than put things back on track and set them happily in stone once for all as it’s clear for me that I do love him.
So I am happy to announce that this is done!

I’ve made my choice and my choice is to do whatever is possible to make us happy, because G.N.B. happy is Carol happy and vice-versa!


H-O-L-L-O-W

June 3, 2011

Is there any way to have meaning in your life when you’re disconnected from everyone?
I don’t think so…

Well, I don’t know how common this is, but for me the main problem is that I feel empty and disconnected from everyone and everything most of time.
Yet I force myself to believe that better days are to come as I have a few people out there which I think I care about or vice-versa, though no real bonds with anyone…
Worse yet, this “emptiness” has been a long term pattern in my life. Yes, it’s been going on for enough years that it’s quite possible I will be alone forever because of my self-destructive behavior.
This totally sucks being sort of “perfectly fake” all the time especially when I fail but I don’t know any efficient ways to change what I became.
I’m weak though I pretend I’m not.
I say “yes” when I want to say “no”; I smile while I’m crying inside; I push myself hard to keep going even when I’m completely lost or when I just want to give up; I speak when I should be quiet; I push people away when I most need them; I complain yet I do nothing to change.
I wish I had someone I could be really close to, without fear of getting hurt day after day.
I wish I had someone to truly hand off my feelings without step back instantly, but I guess I’m psychologically fucked up enough that I don’t know how to make this happen…
My life sucks.

1.000.000 de mil mis

May 26, 2011

Eu tenho sempre um milhão de estórias pra contar, mas eu nunca sei bem por onde começar.
As vezes eu acho que seria prudente começar pelo começo, mas ai eu paro e me pergunto onde é que começaria esse tal “começo” que todos dizem, se tudo meio que de alguma forma se entrelaça, e se perde, e se altera, e se confunde do meio pro final?
Minha vida é ainda cheia de muitos nãos, mas já foi se o tempo em que eu me privava de certas coisas, ou que dava ouvidos demais a quem (ou coisas) que não tem relevante importância na minha mera existência – a propósito, acho que seria relevante um futuro novo post falando só sobre o meu poder “ignorativo”, mas por hora isso vai ficar pra uma outra ocasião.
Agora, de novo e mais uma vez eu estou de volta e vivendo a fase dos “mas e por quê não?”
Já eu acho que a vida é meio que isso mesmo; um mundo de mil mis tentativas, rodeado se sucessos e fracassos quase que diários.
Fato é que eu já ganhei demais, assim como eu já perdi demais. Eu já desisti antes mesmo de tentar, já persisti também por mais tempo do que deveria insistir. E até então eu nunca me cansei de tentar e tentar de novo e mais uma vez.
Eu hoje já não espero muito do mundo, e eu honestamente já não espero mais é nada de NINGUEM há tempos também!
De toda forma, uma coisa é mais do que certa: eu sou guerreira, da minha vida cuido eu.
Ao azar eu desejo alguma melhor sorte da próxima vez, porque eu estou de volta!

I hate her…

February 2, 2011

I hate every word she speaks or write.
I hate the way she walk.
I hate the way she dress herself.
I hate that sweet perfume…
I hate everything about that girl!
I cannot understand how so many people have already left her in their twenties something…
How many lies have she said during her entire life?
How many men did she had?
How many people she hurt…
I cannot understand anything she do!
She has no purpose, no fear, no compassion, no nothing.
She is fake!
Although I do continue to risk my happiness on saving her…
I keep trying to bring her back to the path where she lost herself…
And still she insists on drowning her own into this shit.
No one fucking believe on her anymore!
Does that make me her?
Was I this girl from the very start?
Is that a blur?
Am I fading away?
Who is to decide when right from wrong is so undefined?
Who will be the one that at the end to cry for me when she’d gone?
When nobody would stand for us?
She hates me as much as I do… and I completely understand because she might to have all the reasons to…

Dizzy days

Now I’m ready!

January 25, 2011

Hello there. I’m back! I know, it’s been a while… but my absence wasn’t a choice. From my side I’ve missed you all, although I’m not so sure if you noticed I wasn’t here or if you even missed me at all, but it’s all fine.

Well I don’t know where I should start this post, but I might just put it all together, short and in one…

A new whole year has just started.
So far everything seems to be in the right place this time, even though I do not believe very much in “right & wrong”.
Anyway, many things are still going to change, some others have already changed for the better and a few others remain the same as before, as it should be. I’m still living and working in Milan, the city that I chose to call my “home” at least during the past two years and a bit… Since November last year I’m living for the very first time in an apartment on my own. My flat is about 30m2, and is just beautiful and located in a good area of town, near the centre. And now I finally have everything I need, and that includes even the Internet! Being very honest with myself, it is definitely priceless that I can do whatever I want whenever I decide to!
Whoop!

Regarding my professional life, I am still on the same road. I’m still being a type of freelancer for the Fashion business, and from time to time I also work for a Photographic Studio, which is nice. I have my fabulous agenda with so many contacts and that’s what keeps me safe while I’m here. By the way, I have decided to finally start my “camera collection” and I already have 5 old cameras plus my precious Nikon D5000 (useless information, sorry about that. Wasn’t my intention to make you jealous).
Whatever, I think I’m doing very well and much better than last year, in the same season when everything was so unclear to me… Life is still uncertain, but now I know much more about my potential to “get what I want”. I really believe in the power of words and I’m sure that I was born to be and make people around me happy! I have no limits as I take every obstacle as a lesson. Of course I still have my flaws, I still make people cry, and obviously I am still getting hurt by that, but come on, the little “Me” without defects and flaws is as boring as any other normal girl and honestly I do not want to be like everyone else!
Let me see what else I can say here….
Well, a few months ago I found out that I’m going to be an A-U-N-T-I-E and that’s amazing, I mean, pretty new for me! My sister is pregnant (about 13 weeks now), my family is getting bigger and I’m so proud of them! But still I’m living my life abroad and I will not deny that I feel a little bit guilty about my “eternal absence”… I hope that somehow they understand my decision to pursue happiness this far from home. I really wish I could be there when the new baby is born, although I’ll be there in August for my birthday so not too bad and this time I’m not going back to Brazil alone! I feel very lucky to have my boyfriend going there with me, and perhaps this time I will not feel so lost. Fingers crossed…
Now talking about my dear boyfriend…It is still the same one I had last year and luckily we are becoming stronger than ever, building our solid relationship that has just passed its first anniversary! Who knew I was able to handle that for so long but the more time passes, the more we know what we want for the future. So I am positive that this time I’m not throwing away my youth or simply wasting my time with someone that doesn’t deserve my best, even when we are separated by miles. Everybody knows that he isn’t close to me all the time (physically speaking) but whenever I need him, he is the first to stand and be ready for me. He has been not only the love of my life, but he is also my best friend, and this is perfect because we can count on each other more than 100%. Of course we both have our “periods”, with ups and downs, but we’re doing very well with our relationship, even with these setbacks. And I really hope that this year I will be able to visit him more than I have done in the past.
Yet looking back in time, I venture to say that 2010 was a good year, but very strange in general. 2010 for me was full of ups and downs, victories and defeats, all or nothing but at the same timeI’m grateful, regardless of what happened, for what I have.
Now I am wishing for a wonderful 2011, full of new goals and a bit closer to those I care for the most, family, friends and the love of my life!

Cheers everyone! I’m ready, who’s coming with me?

Yeah, Yeah!

Aqueles garotos…

November 18, 2010

Aos meninos-garotos que tiveram a chance de passar pela minha vida, se me permitem, eu faço uma retrospectiva pessoal:

Eu tinha 13 anos quando eu me apaixonei pela primeira vez. E se eu fechar os olhos e me esforçar um pouquinho eu ainda sou capaz de me lembrar daquele sorriso de  11 anos de idade; do cabelo preto  cogumelo, da pele clarinha e 150cm de altura. João era o nome dele e ele nunca deu bola pra mim. A gente nunca se beijou, nem sequer trocou mais do que 5 minutos de conversa durante toda a nossa existência. Os anos se passaram e meninos pra mim eram como meninas de cabelo curto e brutas… e foi ai que eu passei a não ver a diferença entre os gêneros e até hoje eu continuo usando a mesma regra. ‘Amor’ a gente não escolhe, deixa acontecer.

Eu me lembro que depois disso, eu finalmente tive o meu primeiro beijo, mas engraçado que eu não lembro quem foi, na verdade eu nunca soube. Estava escuro e foi só um beijo e nada mais do que uma brincadeira idiota de crianças da minha idade.

Alguns anos depois eu estaria cursando o Segundo Grau e ali nada parecia fazer muito sentido, ninguém eram conhecido pelo próprio nome, mas sim pelo seu nickname/user ID , quanto mais conhecido na rede você fosse mais status quo no mundo real você tinha, mesmo evitando aparições em publico. Porque no Segundo Grau todo mundo pretende ser o que não é. E foi mais ou menos assim que eu cai de pára-quedas nos braços da menina mais gata que eu já conheci. Ela tinha o cabelo verde, andava de Sk8 assim como eu… e nessa época eu usava cabelo roxo! Até hoje eu não sei o nome verdadeiro dela, só sei que se chamada ‘Xis’ e que Brasília inteira conhecia ela… Aquilo foi mais quente que o fogo, de longe o melhor beijo que já tinha experimentado; e do mesmo jeito que ela entrou na minha vida ela saiu sem esperar ou avisar. Deixou saudades…

Depois disso eu conheci um garoto que aparentemente gostava das mesmas coisas que eu: RPG, poesia, musica e filmes eram a nossa vida… O nome dele era Rodrigo e até cartinha de “você quer namorar comigo?” eu recebi, cheguei até a conhecer a família dele e tudo o mais. Romântico, mas eu nunca achei que fossemos durar para sempre; mesmo assim eu tentei. Sem sucesso, obvio. Afinal quando se tem 15 anos de idade não é de se esperar que se encontre de verdade um amor pra vida inteira (não no século 20). Durante o Segundo Ano do Segundo Grau meu cabelo variava a cada semana do laranja ao vermelho eu foi ai que eu repeti de ano por faltas, porque eu estava mais preocupada com a distribuição do meu Jornal (o Plagio) pelas outras escolas e Centros Culturais e com a minha popularidade do que com qualquer outra coisa e daí o namoro acabou, simples assim: ele foi pro Terceiro de manha e eu refiz o Segundo de tarde… No tears, no drama a vida tinha que continuar!

Daí eu conheci o Mario que tinha cabelo cor de fogo, sardas e olhos claros. Ele gostava de praia, de natureza, de verde até demais e meses depois o nosso namoro acabou por conta dos nossos pais que, achavam que a gente estava tendo ‘problemas’ com drogas… Pfff hello o século 21 já tinha chegado, mais não para os nossos pais… Um tempo depois meu cabelo já não era tão colorido, e esse argumento funcionou la em casa. Com isso o castigo teve fim, assim como o namoro e a metade da minha primeira adolescência… Eu terminei o Segundo e o Terceiro Ano bem antes de todo mundo. Eu prestei vestibular pra 3 Faculdades e passei nas 3 e isso cursando ainda a metade do ultimo ano Colegial! Daí como eu já estava cansada daquela mesma ‘garotada’ eu fiz a tal “Prova de Avanços Excepcionais de Estudos” e conclui o Ensino Médio junto os meus amigos que entraram comigo em ’98, lógico que eu aproveitei a vida do meu jeito muito mais do que a maior parte deles. Gênio eu?! Nhannn bobagem… só talvez um pouco mais inteligente que a média que eu freqüentava.  E com essa minha tal ‘inteligência’ eu achei que podia conciliar dois affairs ao mesmo tempo, Diego D. e Renato. Até que eu consegui, mas por um curto período; o que lógico acabou em briga no pátio da escola! Desse dia em diante eu decidi que nenhum dos dois me merecia, e o ponto final se deu pelas ações de ambas as partes… inclusive pela minha estupidez em pensar mesmo que aquilo ali iria mesmo funcionar de algum modo.

Era 2000 aquele ano e, eu conheci o Patrick que depois de se decidir entre eu e uma amiga minha acabou por pedir a mim em namoro e não a ela. Pra minha sorte a nossa amizade continuou a mesma e o namoro não durou mais do que 1 ano e qualquer coisa. Universidades diferentes, planos de vida e ambições totalmente distintas. Fim. Foi ai que eu conheci o Aluizio que era amigo da Sara que quase foi alguma coisa desse tal Patrick enquanto a gente ainda estava junto. Complicada essa historia?! Não, imagina! Mas eu cheguei na frente descobri a “quase historia toda” antes que o esperto se desse conta. E no final disso tudo eu fiz uma nova amizade e ainda de quebra evitei de levar um chifre bem dado, porque eu merecia, visto que eu sempre fui um porre como namorada, desde de sempre e pra qualquer um! Mas o mundo é dos espertos e eu sempre tive bom faro.

Eu namorei o Aluizio por alguns bons 2 anos, era inicio de faculdade quando tudo acabou. E acabou por N motivos… apesar de ambos freqüentarmos o curso de Comunicação estávamos fadados a rivalidade, nossas habilitações eram diferentes o que no futuro geraria muitas brigas na certa! Jamais Publicitários gostaram de Jornalistas e vice-versa, a rixa é clara e declarada e em tempos de faculdade status é tudo o que conta, muito mais importante ainda que era no Segundo Grau e ele cansado do meu ciúmes fez o que era certo fazer, me deixou sem meias palavras. Eu chorei.

Depois disso com o passar daquela dorzinha chata nada era mais justo e certo do que eu me jogar no curso e literalmente! E foi assim que eu conheci o Diego T, com ele não foi paixão a primeira vista, mas vai ser amor pra vida inteira… A gente ficou junto por quase que a faculdade toda, ele era meu calouro e a gente viveu junto o lado doce e amargo de se gostar de verdade de alguém. Fomos grudados mais do que 5 dias por semana, e muito mais do que 12h… Eu adotei a familia dele como sendo minha e até hoje funciona assim. A gente aprendeu muita coisa um com o outro e até ensinou o que não sabia fazer direito e com isso eu não preciso entrar em detalhes que vivi coisas que jamais vou esquecer. A gente falava em se casar e até adotamos um gatinho branco e peludo pra chamar de ‘filho’ e fazer a nossa fantasia completa. Tudo isso foi bom enquanto durou, enquanto não começaram as brigas bobas e infantis a toda hora e a cada instante. Era já final de faculdade e eu me encontrava numa fase em que precisava de algo mais…

Finalmente a faculdade tinha chegado ao fim e era hora de voar mais alto; foi ai que eu vi que por alguma razão a minha felicidade não estava mais ali ao lado dele naquele momento. Eu pulei fora do barco como um rato assustado, eu tentei fugir da minha própria vida e eu quase surtei pela primeira vez… Eu fui covarde quando eu fugi da vida dele também e sem nem explicar pra ele o que estava acontecendo. E não, eu NÃO me orgulho disso, eu não me orgulho em não ter feito bom uso das palavras quando o que eu estava apta a fazer com louros era ‘Comunicar’… E foi assim que eu joguei no lixo sem pensar duas vezes maravilhosos quase quatro anos correndo o risco de jamais recuperar-los de volta.

Eu começava a ter planos maiores pra minha vida pessoal, pra minha carreira que tinha apenas começado no Fashion Business e eu estava em vertical ascensão, sozinha e muito bem obrigada. E foi ai que um fotografo apareceu na minha vida pra bagunçar o coreto…. Com o Vitor eu tive do bom e do melhor e o céu e o inferno vieram embrulhados pra presente num mesmo pacote. Com ele eu tive até hoje o meu relacionamento mais inconseqüente e precoce de todos os tempos! Foi novidade e isso foi bom, assim como lógico, tiveram outras coisas boas em meio a tantos contras… Desde o inicio ele sabia que em menos de 5 meses de relacionamento eu estaria de mudança pra outro continente e acho que foi por isso que ambos vivemos como se não tivesse amanha, porque eu não podia perder nenhuma oportunidade, já que eu pensava que depois do dia 27 de Abril de 2008 eu jamais saberia se o veria novamente. Meus planos não iriam mudar, eu tinha minhas prioridades, eu estava indo pra Bélgica com visto na mao e passagens já compradas e acreditem, eu quase desisti…

Pra minha sorte eu tive amigos que não me deixaram abrir mao do meu futuro por um relacionamento que sabia la Deus como seria dali em diante. Eu fui, ele ficou no Brasil e nos tentamos manter um namoro a distancia. Até que funcionou bem, mas meses depois ele largou tudo no Brasil e se mudou pra Itália, era algo que ele também queria só faltava digamos ‘motivos’ e com isso eu disse SIM e me tornei o que não planejava pra mim tão cedo: “uma mulher casada”… Eu sai da Bélgica e fui passar férias em Paris antes de reencontrá-lo em Milão 4 meses depois da ultima vez que tínhamos nos visto. O primeiro ano morando junto foi festa. Tudo era lindo, tudo era novo, tudo eram flores. Eu me encaixei no mercado de moda Italiano até muito mais rápido do que esperava, e eu fiz até assistência fotográfica pro meu ‘marido’ e por X fatores as brigas começaram. Eu estava aprendendo o quão podre esse ramo poderia chegar a ser, e foi ai que eu surtei… sozinha e sem o apoio dele integral e literalmente falando. A gente se arrastou junto por mais um tempo, mas na verdade eu já estava sozinha e quase morrendo há meses atrás eu só não me dava conta. E foi assim que sendo super conveniente ele abandonou a louca de volta na casa dos pais e dessa forma que a nossa historia maluca terminou: com um email dizendo não te quero mais. Acabou 5 dias antes de eu fazer 26y.o e sem nem mesmo eu saber direito o que estava acontecendo já que muito bem das idéias eu não estava naquele momento; e definitivamente nada parecia fazer sentido… Eu voltei pro Brasil e eu nem me dei conta disso, eu fiquei poucos dias internada até que eu deu a volta por cima e a tempo de sair pra balada e curtir o meu aniversario com amigos. Até hoje eu não sei como eu consegui visto o estado que estava e com somente 40kg, mas eu festejei a noite inteira e eu fui pra 2 festas diferentes com grupos de amigos bem diferentes também. Ok, culpados pelo o que aconteceu eu não tenho, na verdade talvez a única culpada tenha sido somente eu que coloquei pela primeira e ultima vez alguém acima de mim. Mas é errando que se aprende e vamos que vamos!

Eu passei alguns maus bocados vivendo obrigada a minha solteirice forçada e foi ai que alguém mais surtado do que eu apareceu na minha vida, quer dizer ele já estava presente eu só que não levava muito a sério as brincadeira que vira e mexe aconteciam… Eu tive o que eu não sei explicar com o Dudu, grande amigo e ótimo profissional (sim, minha obsessão por ‘fotógrafos’ ainda se fazia bastante presente…) mas a gente foi esperto e aproveitou só o lado bom da brincadeira, sem se apegar ou tentar matar um ao outro. Não chegamos a namorar, longe disso, mas éramos muito mais do que só amigos coloridos e foi assim por um bom tempo até mesmo a distancia… 45dias depois eu voltei pra Itália, sozinha e decidida a permanecer onde eu aprendi a chamar de lar, onde eu conheci mais de mim mesma tirando forças de sei la onde pra continuar.  E eu venci, fui e continuo sendo muito feliz aqui, onde estou agora.

Depois do Dudu, estando eu onde desejava estar e de volta totalmente a minha sanidade e a minha cidade de coração, Milano, eu decidi fazer do meu trabalho o meu melhor ‘amante’ e vivi assim solteira, linda e super realizada por bons 7 meses e até hoje isso me soa engraçado… visto que eu sempre tinha sido muito dependente em sempre ter que estar dentro de um relacionamento. Sim, essa estava sendo a primeira vez de verdade que eu estava respirando por conta própria, que eu estava me curtindo sem ter que me dedicar a ninguém além de mim mesma; e isso foi maravilhoso enquanto durou!

Mas a natureza é clara e toda solidão tem um prazo de validade e, naquele momento, o meu já estava expirado… Tic Tac, tic tac, o relógio gritava “você precisa de alguém, nem que seja por um final de semana” e foi ai que eu tive uma outra brilhante idéia. A de convencer alguém em ser o meu ‘Sweet November’… porque eu ainda estava muito livre para me apegar de verdade a alguém e outra, não queria magoar ninguém nem muito menos me magoar sobretudo. Ou seja, ninguém melhor do que um super amigo pra me entender e não me cobrar nada depois. Aquilo foi sexo por sexo, junto com muita diversão e boas risadas. Sim o Benoit foi o que tinha que ser e esta de parabéns por isso. Nossa amizade até hoje continua forte como sempre foi e a forma como nos conhecemos foi um tanto inusitada eu diria; visto que nos éramos hiper amigos virtuais e assim estivemos por anos até finalmente nos conhecermos em carne e osso, literalmente falando durante as 72horas que passamos ‘juntos’.

Daí teve o Diego T (de novo – aquele meu querido ex-namorado…) E essa foi a primeira vez que eu me permiti curtir um ‘flashback’ sem culpa e quer saber, não me arrependo nem um pouco! Fomos namoradinhos de novo por todos os dias que estivemos juntos num passado próximo. Revivemos boas lembranças de tudo aquilo que já tínhamos vivido uma vez, compartilhamos coisas novas e aprendemos muito mais um sobre o outro do que jamais poderíamos imaginar! Todos esses anos afastados, todas as mudanças pelo qual passamos… éramos os mesmos, mas ao mesmo tempo éramos diferentes e isso foi mágico de uma forma única, penso. E é por essas e outras que eu vou guardar ele com grande carinho no meu coração pra sempre. Hoje em dia somos como pão e manteiga, amigos inseparáveis e pra vida inteira. Quem diria que isso pudesse mesmo acontecer depois de tudo o que eu o fiz passar, das poucas e boas que aprontei… Ainda bem que perdão existe, ainda bem que soubemos esquecer o passado e aproveitar o presente!

Daí um tempo depois, graças as minhas infinitas horas de ócio construtivo conectada ao mundo do WWW, eu pude conhecer alguém que se denominava como “aquele garoto”. Britânico, super entusiasmado, advogado, um ano mais novo do que eu, apaixonado por musica boa e tão ‘geek’ quanto eu… Definitivamente alguém que eu não escolheria de livre e espontânea vontade, mas que o destinou conspirou para que eu pudesse vir a conhecer.

Sabe o que foi o mais engraçado disso tudo?! E essa eu acho que nem ele sabe direito até hoje, mas a verdade é que eu me apaixonei de uma tal maneira antes mesmo de conhecê-lo pessoalmente! Era aquela voz, com aquele sotaque pausado e aquele jeito especial em me surpreender com emails e recados todo santo dia, cheio de palavras doces e novas ao meu vocabulário… Era aquela forma de pensar, aquela liberdade e todo o desafio de fazer dar certo algo vivendo em países diferentes, tendo culturas distintas e manias particulares que me encantavam dia após dia… E foi assim que tudo começou de verdade e pra valer. Era uma sexta-feira a noite, de Janeiro passado. O dia 21 ficou pra historia como o dia em que nos vimos frente a frente pela primeira vez respirando o mesmo ar e já se beijando e tudo o mais depois de pouco menos de 1 mês trocando massivamente fotos, emails, conversas e planos…

Aquele final de semana em Londres com o Greg foi perfeito e com gostinho de quero mais, mas eu sai de la com a incerteza do que seria dali pra frente. Eu não estava pronta pra sofrer, eu não queria me iludir, eu sabia que eu não podia me apegar, mas o coração é burro e mesmo assim deixou isso acontecer… Ele também vinha de um passado um pouco pesante assim como o meu e tudo aquilo ali pra ele também parecia muito. A gente continuou se falando e 19 dias depois, no Valentine’s Day nos estávamos de novo juntos e juntos de verdade dali pra frente. Sim, nos nos tornamos namorados,  eu estava feliz, completamente cega e lógico que eu ignorei todos os contras de um namoro a distancia e disse SIM sem hesitar. Eu saltei dentro dessa e eu me joguei sem pára-quedas, pra variar! Imaginar é fácil, planejar e tentar seguir com o plano é que é o complicado… Nosso namoro teve uma grande lacuna, ficamos um bom tempo sem poder nos ver, coisas do nosso trabalho que não merecem muito destaque. Sim, ele assim como eu, sempre colocaria o trabalho em primeiro lugar, o que é totalmente sensato. E com isso foram 3 meses sem nenhum contato físico. Depois disso nos reencontramos em Maio e isso foi um pouco ‘estranho’… Estávamos perto, mas continuávamos longe, havia uma certa ‘tensão’ no ar e a falta de um dialogo claro gerou mais estragos do que poderia trazer em benefícios para ambos. Ficamos juntos 5 dias e isso não foi suficiente pra encarar outros 2 meses de distancia pela frente. Mas vai explicar isso pro coração que insiste em não concordar com a razão, que insiste em não entender a diferença entre partir e ficar… Naquele momento acho que por mais que quiséssemos não tivemos a coragem necessária para pedir um break e ver no que poderia dar… Well, ao invés disso eu e o Greg optamos pelo silencio, o que foi mais cômodo em meio a algumas duvidas e tantos pensamentos não ditos…

E foi assim, ficando sozinha a esperar o retorno do meu namorado, que eu deixei  levar por engano por um garoto chamado Alessandro, ou simplesmente Ale; que invadiu a minha vida como um uma brisa refrescante de começo de verão. Estudante de Direito, 22 anos, branco como a neve, cabelo preto, olhos verdes quase transparentes, um jeito engraçado de falar, Italiano de Milão, super moderninho e completamente surtado. Resumindo, um prato cheio pra uma carente e faminta por novidade como eu naquele momento. Não posso dizer que estivemos ‘juntos de verdade’ porque com ele cada novo dia era uma incerteza. Da minha parte, eu que não sabia o quão avante iria prosseguir com aquela situação; da parte dele  o discurso de ser mais jovem do que eu, e do meu lado o fato de não quer me envolver de verdade com alguém que não estava nem ai por estabilidade. Ou seja, éramos incompatíveis ao extremo, mas existia um feeling tremendo e isso foi um estopim assustador.

Eu não fui fiel ao meu namorado, mas eu fui leal porque eu informei todo novo passo que dei. Eu tentei evitar, eu juro que tentei, mas não consegui em meio a tantas brigas com meu namorado que estava ainda longe, mas já prestes a retornar… Não era novidade nenhuma que eu também não estava passando por um período muito fácil, nada ia bem na minha vida, eu vivia a filosofia do ‘hoje’ já estava tendo minhas crises de novo e sabendo o quanto sou imprevisível eu temia pelo amanha que poderia não chegar. Mais uma vez não estava sendo simples pra mim estar sozinha e levar isso avante… E digamos que o Ale foi um mal que veio para bem no final das contas, pois ele esteve ali pra mim quando eu precisei de um corpo do meu lado, de alguém perto pra me fazer sorrir e além disso fez o Greg conhecer um pedaço de mim que eu não tinha a real consciência que realmente existia… Eu o fiz sofrer muito e sem intenção, porque eu só estava sendo egoísta. Fato é que a gente quase terminou, mas dessa vez fomos maduros o suficiente pra colocar todas as cartas na mesa e conversar abertamente sobre o que estávamos buscando um no outro. Pra nossa sorte, decidimos em continuar, mas dessa vez da maneira clara com nosso relacionamento se tornando cada vez mais solido. Começamos a planejar uma coisa chamada ‘futuro’. Ele aprendeu muito mais sobre mim do que eu jamais poderia ter ensinado ao longo dos anos de convivência que ainda hão de existir entre nos. Eu vi um lado dele que eu não sabia existir, eu finalmente percebi o amor que ele tem por mim e isso me fez re-apaixonar me pela pessoa incrível que ele é quando quer ser.

Nem consigo acreditar que daqui a pouco já vai fazer um ano que eu comecei a falar com ele. Verdade é que eu ainda pretendo ter o Greg na minha vida por muito e muito tempo e eu digo isso sem nenhum problema, garantia ou duvida. Acho que o que tem que ser, simplesmente será; e a gente segue fazendo cada um a nossa parte.

Eu ainda não me convenci sobre amores de novela, ainda prefiro manter distancia segura de altares e igrejas. Eu continuo optando por não acreditar muito em contos de fadas, mas eu arrisco dizer que dessa vez um legitimo príncipe eu encontrei, só falta o cavalo branco… E se eu vou ser mesmo a princesa dos sonhos dele indo morar feliz num castelo no alto da montanha encantada eu ainda não sei; mas que eu vou me esforçar pra fazer isso dar certo, ah isso sim e com certeza, porque ao longo desses 12 anos de sorrisos e derrotas, vencendo entre mortos e feridos eu arrisco dizer que eu já cansei de experimentar mercadorias por ai.

Eu aprendi que homem não é tudo igual, que eu não sou a mesma pra todos eles… Nessa mais de uma década aprendendo a conviver em harmonia com essa raça completamente oposta e indecifrável eu me superei e surpreendi muita gente também; eu aprendi muito e sobretudo quanto a mim mesma, com a minha forma de pensar e de agir. As vezes eu olho pra trás e não me reconheço assim como tantas outras vezes eu me pego repetindo as mesmas velhas atitudes…

Eh, definitivamente eu aprendi muito mais do que poderia descrever com palavras, eu passei a gostar de pessoas, eu transformei isso em objeto de estudo, eu apliquei muito mais das minhas teorias furadas sem pé nem cabeça e consegui sempre muito mais do que imaginaria ter e hoje eu digo: Relacionamento amoroso sem interesse esta fadado a 1) acabar em amizade ou 2) acabar em tragédia ou morte (entenda isso como bem quiser).

Fato é que relacionamento duradouro precisa de ter interesse, e amor só funciona quando há real esforço de ambas as partes. Dito e feito sem mais delongas, simples assim.
.
NOTA: Depois de todas essas minhas palavras que podem não servir pra nada, além do fato de testar a minha boa memória, eu só espero não arrumar confusão com nenhum dos citados acima. Afinal não é nenhuma mentira o que esta escrito, eu sei que não devo nada sobre o meu passado, não temo o meu futuro. Então se você faz parte dos referidos acima, meus parabéns! Agora relaxe e sorria porque você fez parte da minha historia…

.

.

Let’s try this…

November 7, 2010

TEN HOW’S:
1-How are you feeling at this moment?
Very thoughtful and concentrated on keep breathing and stop writing.

2-How did you get one of your scars?
Most due to self-harm.

3-How did your night go last night?
Went to bed lately, was about I have no idea I wasn’t feeling alright because I was drunk. I felt worried and happy about my uncertain future…

4-How did you celebrate your last birthday?
Celebrating life as I was still alive…was my 27th and this was in Milan maybe the most important birthday at all.

5-How often do you see your best friend?
I don’t really have one, I mean not close to me. But I’m seeing basically random people daily.

6-How much money did you spend last month?
Hmmm…I have no idea :/

7-How old do you want to be when you get married?
I think doesn’t matter, if you find your love with 80 or 18 doesn’t matter as long as it’s love and you want to spent your life with your partner, even though to be very honest, I’m not pretending to get married never again, I already know how this experience look like and it seems as a HELL!

8-How did you feel about your body shape?
I’m a girl and as a girl I’m not totally okay with…

9-How many hours did you spend on your bed?
Difficult question…for sleeping not more than 4h per night but I like to be setting on to write, watch TV series, chat with friends etc.

10-How big is your family?
Actually my family is a quite small, 2 sisters, grandparents only by my father side, 3 uncles and 5 cousins. So far I guess is it.

NINE WHAT’S:
1-What did you do last weekend?
I felt loved, I was in London with boyfriend, visiting parks and good restaurants.

2-What did you last cry over?
About my current situation. Felt like I couldn’t handle life…I’m still having up’s and down’s (more up’s recently though which is great!)

3-What always makes you feel better when you’re upset?
Breathing and thinking about a song that I like…I have many and they change a quite often… For the moment Carolina Lier – When you are here is one of my favourite ones. Particularly this song always makes me feel like anger doesn’t bring me any further. Write down disconnect thoughts helps me also pretty well.

4-What’s the most important thing you look for in a significant other?
Trust, honesty and loyalty. I’m always trying to look for in others what I usually don’t have inside myself…

5-What is your favourite hobby?
Stay up all night! Also taking pictures and then retouch some of my best shots. By the way I like to study people I always learn something new about me doing that! There is so many different things…

6-What sexual position did you prefer?
It depends of my mood…depends of my partner, if is a man or a girl…damn it’s relative!

7-What is your motto?
Life is too short to regret!

8- What did you usually have for breakfast?
Cornflakes with milk, very lazy I know…or delicious croissants when I’m in love.

9-What is your first thought on the morning?
“Oh, no! Where am I???”  #joking! Pfff mornings isn’t for me…

EIGHT  HAVE’S:
1-Have you ever liked someone who had a girlfriend/boyfriend?
For sure, who don’t?!

2-Have you ever had your heartbroken?
Many times that basically what remains cannot barely being broken because there left almost nothing.

3-Have you ever been out of your country?
Yeah, often. I live abroad in a distant and old land now…

4-Have you ever done something outrageously dumb?
Too often.

5-Have you ever been back stabbed by a friend?
Cannot really remember when was the last time…oh hold on, yes actually I do remember, it was a few days ago but we are ok now.

6-Have you ever had sex on a ‘weird’ place? Or with someone else on the same gender?
Nah not yet…And yes why not just by curiosity.

7-Have you ever dated someone younger than you?
Sure…I think I prefer young guys, don’t know why and I don’t mind about how old someone is, but about he or she actually is.

8-Have you ever read an entire book in one day?
Yes, several times…I’m addicted by paper and it doesn’t matter if is to read or write!

SEVEN WHO’S:
1-Who was the last person you emailed?
My boyfriend…

2-Who was the last person to call you?
Someone unknowing by mistake just now (weird).

3-Who did you last hug?
Stefania my lovely ex-rommatte on friday night.

4-Who was the last person you said “i love you” to?
Drhannn… I will skip this one seems a bit stupid.

5-Who is your hero?
My daddy and my other “I” who has more lifes than a cat!

6-Who would better describe you in just one word?
I don’t know…apart from me, nobody though. By the way if someone would like to try feel free!

7-Who is your “safe harbor”?
My ex-boyfriend, DTC…I know it may sounds weird but I cannot live without him! And even being apart now we need to chat every single day.

SIX WHERE’S:
1-Where does your best friend live?
Best friend? Hmmm what it means? Ops, ok ok I was kidding. Well my best friend ever lives in my hometown just about 16000km away from where I’m living now…

2-Where is your favorite place to be?
In a park…or inside my mind.

3-Where did you sleep last night?
In a friend house…actually I have been sleeping here for the past week…

4-Where you are planning to spend holidays?
My eternal holidays?! Well I think will be in London, Switzerland, or maybe in a new different city, who knows…

5- Where did you last cry?
On the bathroom taking a shower a couple of days ago.

6-Where are you now?
In Milan, center of city, first floor, in my temporary bedroom.

FIVE DO’S:
1-Do you like someone right now?
Yes, lots! Actually I do love someone… but sometimes I think I shouldn’t as seems so unfair stay apart from each other, but indeed don’t really want to be together 24/7 otherwise I suppose ‘he’ will be a Italian guy and not a British one as I have. I know it sound crazy and pretty selfish keep a relationship by distance… Yes, sometimes I feel like stuck in between.

2-Do you think anyone likes you?
Yes, I like to be optimistic!

3-Do you ever wish you were someone else?
Yes, who doesn’t?!…but all in all I wouldn’t want to be anyone else.

4-Does the future scare you?
Yes, always! ‘Tomorrow’ never comes and believe in something so unreal is for me really scare!

5-Do you have any bad-habit?
Yes, lots…I’m a smoker, insomniac, lier, I have something close to ‘double personality’…Well I’m all fucked up!

FOUR WHY’S:
1-Why are you best friends with your best friend(s)?
Because we choose for each other?! Well there’s no reason, but I guess it was destiny or idiocy from both of us! Lol

2-Why did you get a Blog?
The main reason was I love to write, it’s like the air I breathe everyday… As I feel myself almost obligated to share my stupid random thoughts with others and it was an efficient way to do that!

3-Why did your parents give you the name you have?
Ana was because my grandmother’s name so my mom decided that I should have it too and Carolina because my father thought that just the first one wasn’t enought too short though…

4-Why are you doing this survey?
By curiosity and because I wanted to try it.

THREE IF’S:
1-If you could have one super power what would it be?
Read other minds…even if I maybe don’t always want to know what they think. Or freezing the time, yeah that would be awesome for someone like me with so many here’s and there’s… By the way I wish I could have the power to be happy forever and make ppl too.

2-If you could go back in time and change one thing, would you?
Not so sure…I’m the kind of people who believes in events in chain…everything is connected what means if I changed anything from my past my future would be different from now and somehow I’m pretty glad with the life I have even though I still complaining lots…

3-If you were stranded on a deserted island and could bring 1 thing what would you bring?
Difficult to choose just one thing…kilos paper and a million pens is that ok?!

TWO WOULD-YOU-EVER’S:
1-Would you ever get back together with any of your ex’s if they asked you?
Maybe with one yes…but not so sure as we are perfect being great friends.

2-Would you ever lie again to protect someone you love?
Very probably yes…

ONE ARE-YOU:
Are you happy with your life right now?
At the very moment – no. I’m satisfied but not honestly happy, I’m annoyed at home the weather is terrible today and I have nothing to do or anyone to talk right now!

ReStart

October 27, 2010

And there I’m going again…

 

.

.

.

 

to a new white page because I deserve it. Yes, I am backing ‘home’!

XO

WeHeartIt!