Posts Tagged ‘eu’

Missing you tonight…

February 25, 2010

Definitivamente ‘saudade’ é um sentimento mesmo estranho e eu já me dei conta disso!  Conclui também que, saudade aparece quando a gente menos espera e sempre quando a gente não precisa dela. #failed_feeling!

Eu só ainda não sei se essa estranha saudade tem ou não algo diretamente relacionado com  o fator ‘distância’ ou se é mesmo só um sentimento abstrato demais para se enquadrar em qualquer padrão…

Saudade dos meus amigos e família eu tenho ainda de vez em quando (não vou negar), mas acho que deles eu já acostumei a estar longe; talvez pelo fato de já estar habituada a morar fora, a estar por minha própria conta (é, já se foram quase 2 anos de Europa, quem diria sonhos se tornam mesmo realidade!). #luckily…

Enfim, eu sou uma pessoa de complicados extremos em todos os sentidos e, particularmente, eu não vejo motivos ou necessidade em mudar (eu sou cabeça dura de vez em quando, quer dizer, quase sempre).

Eu não costumo dar espaço para qualquer um na minha vida, eu aprendi a ser ‘reservada’ demais e também exigente demais em relação aos outros e principalmente comigo mesma assim, ao menos eu evito ter que sentir saudades ou qualquer outra coisa do qual eu não queira, o que vendo por um lado é até que bom… O que acontece às vezes (raras vezes pra ser bem sincera) é que, pessoas especiais cruzam o meu caminho sem pedir licença, me aparecem ‘do nada’ se tornam sem querer quase que indispensáveis – eu sou sempre exagerada e muito intensa em vários aspectos, acho que vocês já se deram conta disso…

Sim, eu tenho sempre várias medidas, eu me baseio em dados e eu vivo fazendo cálculos mesmo não sendo assim tão boa em Matemática e sabendo que (de vez em quando) isso não serve efetivamente de nada. Mas ainda assim eu gosto  e preciso sempre de saber das coisas, com certeza eu uso e pratico a frase “information is Power”.

Sabem, eu sou daquelas que precisa ter o controle ou ao menos pensar que o tem e é por isso que eu tenho pensado em comprar mil calendários se for preciso só pra quem sabe daí conseguir fazer com que o tempo passe mais rápido!

Hoje se tornou inegável para mim a falta que ele me faz, estranho isso em tão pouco tempo (eu sei…). Agora eu estou aqui repetindo pra mim mesma: “você começou essa sabendo que seria assim, take it easy okay?! Nunca se esqueça de que nada acontece por acaso; as coisas são como são e acontecem como e quando tem que acontecer e, sobretudo mocinha, as coisas não são sempre como você quer… Coloque na sua cabeça que ‘’saudade’ pode ser o tempero do relacionamento ou então faça de conta que foi ontem a última vez que vocês se viram”. É uma longa frase eu sei, mas é sem dívidas mais curta que a espera… #hopefully!

– Confesso facilmente que sim, eu me engano por vezes, faço a minha realidade um pouco maquiada e assim eu vou seguindo sem muitos arranhões sem tamanha carência… (não é 100% eficaz mas ajuda um pouco).  =)

É incrível como ele é bem o tipo de garoto irresistível e irrecusável – fofo e já super bem querido na minha vida! E que desde o início não consegui negar o envolvimento devido a tamanha similaridade.  É, essa similaridade faz dele (ainda mais) um garoto SUPER apaixonante em todos os sentidos! (talvez seja esse o motivo de eu já ter tanta saudades dele e de eu já ter cruzado e margem de segurança, porque suponho que o inevitável já aconteceu… e sem dúvidas meu sentimento por ele só tende a crescer cada vez mais… #L).

Hoje é inegável a sua falta pra mim…estou carente de você!

Pick me up in your arms
Carry me away from harm
You’re never gonna put me down
I know you’re just one good man
You’ll tire before we see land
You’re never gonna put me down

Oh I’ve been running all my life
I ran away, I ran away from good
Yeah I’ve been waiting all my life
You’re not a day you’re not day too soon
Honey I will stitch you
Darling I will fit you in my heart
Honey I will meet you
Darling I will keep you in my heart

You’ll risk all this for just a kiss
I promise I will not resist
Promise you won’t hold me down
And when we reach a good place
Let’s be sure to leave no trace
Promise they won’t track us down
Now I’ve been running all my life
I ran away, I ran away from good
Yeah, I’ve been waiting all my life
You’re not a day, you’re not a day too soon

Darling I will keep you in my heart!


Advertisements

Ana Carolina ou simplesmente Carol

January 4, 2010

Eu tenho uma teoria sobre mim e uma opinião sobre todos os outros que eu não sei explicar…
Cresci com a minha vó dizendo que eu era fogo! Mais tarde na vida descobri que ela tinha razão.
Descobri também que eu sei fazer muito mais coisas do que eu imaginava ser capaz.

Do meu inglês e italiano eu aprendi sozinha, francês eu engano bastante dizendo que falo, mas eu só entendo um pouco na verdade, dutch eu já comecei a esquecer e espanhol eu nunca tive paciência. Medo de errar eu não tenho nenhum,  necessidade de me fazer entender e capacidade em comunicar eu tenho aos montes.

Eu tenho uma memória de elefante jamais me esqueço de nada nem mesmo de coisas já que não deveria mais lembrar ou sequer saber. Apoio o lema “eu acho não funciona”; gosto do preto no branco, das coisas bem do tipo “ou é ou não é”, tudo ou nada, ou 8 ou 80. Sou múltipla tenho várias personalidades, uma pra cada dia do ano mesmo sendo uma só e, sim, às vezes eu me contradigo – mas eu nego. Passo a gostar de coisas que não gostava antes pelo simples fato de me trazerem boas lembranças de volta e o oposto também acontece.

Arco-íris me inspiram, amo bolinhas de sabão, algodão doce, sou moleca do tipo menina-mulher mas dentro de mim eu escondo o cão. Adoro banhos quentes e detesto piscinas, o mar eu tolero pena que na água fria eu só vou até onde meus pés alcançam… Canto sem parar, danço até no meio da rua quando tenho vontade; eu já me cansei de pintar os cabelos, mas vivo brincando com a tesoura ainda. Eu desenho, mas não sei quase nada sobre arte; amo fotografia, mas não entendo bulhufas sobre a teoria – eu testo.

Leio alucinadamente. Escrevo sobre tudo e nada compulsivamente. Gosto de tecnologia, mas o papel e o vinil ainda me fascinam. Sou capaz de escrever até na pele, num guardanapo sei lá, só mesmo pra matar uma vontade, não deixar perder uma idéia. Já comprei discos sem ter onde tocar. Sou estranha e interessante para alguns, loka e sexy para vários, fiel a  quase nenhum. Adoro novas experiências, cultivo meu humor sarcástico e irônico; único e que poucos conseguem entender – sou de leão. Obcecada pelo meu pouco peso e meu cabelo liso, sorrio sempre pra fora; até hoje poucos viram o que tenho mesmo dentro – talvez porque estiveram olhando para o lugar errado por muito tempo.

Sou boa de copo, de garfo e ainda péssima de fogão, mas tem quem goste do que eu cozinho e eu continuo aprendendo. Tenho vícios e manias incontroláveis, bons modos quase nenhum. Dinheiro, chicletes, cigarros, internet e músicas são coisas fundamentais no meu dia e noite, não vivo sem e não preciso quase mais de dormir – eu não me desespero e nem tenho olheiras.

Sou uma excelente faladeira, mas uma péssima ouvinte; sempre protagonista e não personagem – tenho conteúdo. Amo novidades e rotinas quotidianas me tiram do sério. Dou e recebo em grandes quantidades e nunca estou satisfeita. Arrependimento não faz parte do meu dicionário. Coleciono momentos inesquecíveis, algumas dores e vários calos – eu não desisto. Eu já me cansei de acreditar no amor e em destino, eu passei a fazer a minha história, a dirigir o meu filme e a só acreditar naquilo que eu vejo, ou quando muito, naquilo que posso sentir – drogas, a vida é cheia delas.

Já que a vida não é assim tão simples eu também gosto de complicar um pouco de tudo quando posso.  Listas, faço muitas. Gosto de fazer listas pelo prazer de ir riscando item por item até o final, Post it’s e notes os amo também. Gráficos, tenho tesão por eles, acho lindo poder quantificar a vida, medir ações imensuráveis, racionalizando fatos e emoções…

Sou um pouco superticiosa, bastante perfeccionista e beleza me encanta mesmo que venha sem tanto conteúdo (já que isso eu tenho demais e modéstia de menos)… É, eu nasci fútil pra algumas coisas e exagerada pra outras, e eu sou cheia de certezas apesar de saber que certo e errado não existem. A cinza do cigarro eu ainda não aprendi a bater dentro do cinzeiro e água eu devoro.

Me dedico de corpo e alma e um pouco além a tudo aquilo que acredito, não sei ser diferente. Meu trabalho minha vida, minha paixão, atravessaria de novo meio mundo se fosse preciso. Gostos e os desgostos eu entrego no olhar sem disfarçar. Dos tombos, curo as feridas e sigo andando – coleciono cicatrizes já que a vida não para e segue adiante, e os amigos que ficam pelo caminho os trago na alma e no coração.

Sou filha do mundo, leal, e às vezes me sinto como cão sem dono, mas me equilibro no salto pra ver as coisas do alto – na balada fico sempre no topo. Organizo roupas pela cor, músicas por estilo, amores por cronologia de mês ou datas. Sou imediatista, compulsiva, exagerada ao extremo segundo alguns e um pouco mentirosa, mas eu jamais procrastino uma vontade. Sabe a frase “se a vida te dá um limão você faz uma limonada”, bem, eu acabei por fazer da minha vida uma bela salada de frutas.

Eu descobri que eu sobrevivo sempre, sou Fênix em qualquer realidade. Há algo de forte na alma e há, também agora, um equilíbrio construído dentro de mim, com alguma ajuda. Quase sempre eu escolho bem e eu tenho tendências para o mal. Eu escolhi ser feliz já que tudo é mesmo transitório. Carências é coisa que já quase não tenho mais – sou auto-suficiente quando quero.

Aprendi que no final das contas, minhas poucas perdas até hoje não foram de todo ruins. As dores não tão terríveis como poderiam ter sido, e eu acabei tendo muito mais lucros que danos. Aprendi a ter ainda mais sagacidade, formas de proteção até então desconhecidas e, principalmente, a identificar realidades racionais em que a decisão de “distância eterna” mostra-se essencial. Hoje beijo por diversão e tenho pessoas como passa tempo.

Não sei explicar de onde brotam inúmeras confianças, mas em algum lugar entre 0 e 100 eu sei que está. 2010 vai continuar sendo o ano pra mim porque eu quero a cada dia, mais que nunca viver muito a vida. E às vezes, mas só de vez em quando, eu quero poder beber o mundo de conta-gotas, que é pra acabar só no fim!

Day by Day: 24h is not enough and I want always more till the end!

Digital Love…

October 26, 2009

[I never knew what is “love” until you come to my life…Now I know less!] hahahaha

I keep thinking of how we first met and about the way you looked at me for the first time.
Yeah, I can remember how and where, was so unsual and funny…
Do you remember babe our “first-first” kiss? Do you remember the faces of people around…
I remember that! Was just for fun and so unexpected. At least was just for an instant but always meant so much, already seams so fresh this memory inside me…
And after everything that happens in our lives (I met new people, you too…) we remained friends like before.
Maybe destiny or for some other reason, I dont know…the time gave us more than expected, we were “together” lately for a while and was great kiss you for real ahhahah
So next time I´ll do it again and again and again…

I miss you babe!

(L)

.

(L)

he is the best ever!

Oi…meu nome é Alice e essa é a minha nova vida!

September 4, 2009

Boêmia, frenética, insana, loka, mas principalmente cheia liberdades.
Eu me enchi de muitas coisas, eu estou cheia de auto-permissões.
Eu aprendi a me dar, um pouquinho todo dia, sem exageros nem faltas, a cada um na minha dose.
“Wonderland” é mesmo uma cidade de paixões… a cada esquina, a todo instante e pra nunca mais, é… e disso eu já me convenci…
Aqui tudo pode, tudo é novo e nada é de novo, e ninguém se importa, e isso é bom.
Um segundo é pouco… o agora já passou.
O amanhã ainda está longe demais e única coisa que eu quero é que esse instante dure para sempre!
Eu sei que eu tenho mil possibilidades, mil escolhas.
Mas eu não sei qual escolher amanhã… eu só sei a que eu escolho hoje.
Eu tenho vontade de me sentir viva.
E eu vivo!
Eu tenho mania de desapropriação, de exageros, de amores, de apegos e desapegos, de mudança…
Eu tenho mania de você, mas eu tenho mais vontade de ser eu mesmo!
Eu quero aproveitar, me derramar, me perder e não precisar mais me achar…
Eu me lembro de tudo o que eu vivi e do que eu nunca me esqueço… e eu sinto coisas que eu não sei dizer.
Eu quero não me importar, eu quero fazer a diferença pra alguém mesmo não sendo ninguém, mesmo sendo só mais uma a nada além!
Eu aprendi cedo demais a ter tudo o que eu queria, eu só não aprendi a perder ainda…
A vida é cheia de escolhas…escolhas que a gente faz e escolhas que fazem pela gente.
Eu percebi como conquistar as pessoas, as coisas, eu aprendi a querer sempre mais, a encantar, a seduzir…
Eu me sinto afundada numa maré de sentimento bom… e isso é muito mais a minha cara, é muito mais o que eu estou vivendo agora.
Demais é pouco e ainda é assim vago…
Eu precisei voltar pra trás, igual caranguejo, precisei levar um tombo pra perceber isso… mas a onda ruim já passou, meu luto já terminou.
Eu quero estar perto das pessoas que eu amo, das pessoas que me amam do jeito que eu sou.
Eu quero poder ver a conquista de cada uma delas, quando elas encontrarem o seu próprio caminho, porque EU,…eu precisei me dar conta que eu realmente tinha que passar pelo o que eu passei, pra daí sim, eu conseguir finalmente me encontrar!
Só intensidade? Não. Diversidade!!!
Eu tenho o mundo dentro de mim e isso eu sei que assusta todos às vezes…
Mas o meu limite é além céu!


“Espelho, espelho meu, existe alguém mais “Alice” do que eu!?”

Boemia, frenética, insana, loka, mas principalmente cheia liberdades.                                                                                                       Eu me enchi de muitas coisas, eu estou cheia de auto-permissões.                                                                                                          Eu aprendi a me dar, um pouquinho todo dia, sem exageros nem faltas, a cada um na minha dose.

São Paulo é mesmo uma cidade de paixões… a cada esquina, a todo instante e pra nunca mais, é… e disso eu já me convenci…                                                                                                                                                                                                                     Aqui tudo pode, tudo é novo e nada é de novo, e ninguém se importa, e isso é bom.                                                                          Um segundo é pouco… o agora já passou. O amanhã ainda está longe demais e única coisa que eu quero é que esse instante dure para sempre!

Eu sei que eu tenho mil possibilidades, mil escolhas. Mas eu não sei qual escolher amanhã…  eu só sei a que eu escolho hoje. Eu tenho sede de vida. E eu vivo!                                                                                                                                                                  Eu tenho mania de desapropriação, de exageros, de amores, de apegos e desapegos…                                                                     Eu tenho mania de você, mas eu tenho mais vontade de ser eu mesmo!

Eu quero aproveitar, me derramar, me perder e não precisar mais me achar…                                                                                 Eu me lembro de tudo o que eu vivi e do que eu nunca me esqueço… e eu sinto coisas que eu não sei dizer.

Eu quero não me importar, eu quero fazer a diferença pra alguém mesmo não sendo ninguém, mesmo sendo só mais uma a nada além!

Eu aprendi cedo demais a ter tudo o que eu queria, eu só não aprendi a perder ainda…

A vida é cheia de escolhas…escolhas que a gente faz e escolhas que fazem pela gente.                                                                   Eu percebi como conquistar as pessoas, as coisas, eu aprendi a querer sempre mais, a encantar, a seduzir…

Eu me sinto afundada numa maré de sentimento bom… e isso é muito mais a minha cara, é muito mais o que eu estou vivendo agora.                                                                                                                                                                                                                       Demais é pouco e ainda é assim vago…

Eu precisei voltar pra trás, igual caranguejo, precisei levar um tombo pra perceber isso… mas a onda ruim já passou, meu luto já terminou.

Eu quero estar perto das pessoas que eu amo, das pessoas que me amam do jeito que eu sou.                                                   Eu quero poder ver a conquista de cada uma delas, quando elas encontrarem o seu próprio caminho, porque EU,…eu precisei me dar conta que eu realmente tinha que passar pelo o que eu passei, pra daí sim, eu conseguir finalmente me encontrar!

Só intensidade? Não. Diversidade!!! Eu tenho o mundo dentro de mim e isso eu sei que assusta todos às vezes…

Mas o meu limite é além céu!

Mais & Menos:

August 30, 2009

Aprendo e continuo aprendendo todos os dias:

A viver mais;

Sorrir mais;

Acreditar mais;

Sonhar mais.

A esperar menos;

Chorar menos;

Prometer menos;

Odiar menos.

A ter paciência e ser mais paciente;

Ensinar sem magoar;

Andar sempre de cabeça erguida;

Ser honesta com os outros e principalmente comigo mesma.

A fazer o que eu quiser tendo em mente todos os riscos e conseqüências de um único ato;

Amar igualmente, porque é dando que se recebe;

Saber expor uma idéia, retribuir um desejo;

Seguir em frente com os objetivos, independente de qualquer coisa.

A perdoar verdadeiramente;

Errar, reconhecer e saber voltar atrás, porque “é melhor voltar para trás do que se perder no caminho”!

A cair e se levantar;

Saber que o dia termina quando o sol se põe, e o dia seguinte é um novo, único e cheio de novos desafios e oportunidades, então encare sendo criativo;

Aprendi a morrer e a continuar viva: Eu renasci!

E o talvez mais importante: Eu aprendi todos os dias como ceder, mas nunca, jamais, desistir daquilo em que eu acredito!

Era tudo bobagem…

July 24, 2009

Demorei pra entender, mas acho que depois que perdi muitas e várias coisas, comecei a compreender. Mesmo sem ainda ver muito sentido nisso tudo.

Sempre reclamava dos problemas da minha vida, e não via nenhum problema nisso. Mas eu percebi que as pessoas mais próximas acabaram se cansando e, lógico se afastando (normal)…

Todos são na verdade como eu; precisam de uma novidade bombástica a cada novo dia, pra vida continuar tento graça; a diferença está naqueles que conseguem ver isso e nos que são os que eu denomino “cegos-sociais”. E sobre isso eu prefiro me abster.

Ando meio cética em relação ao amor…não à pessoa que eu amo , o Vitor Shalom, e que supostamente também já fez o mesmo por mim, mas sim, a esse sentimento que muitas vezes é talmente banalizado, e que, acaba perdendo o sentido real e coletivo (se é mesmo que se pode generalizar).

Uma vez eu escutei de alguém, e não quis muito acreditar, lógico porque estava apaixonadíssima… mas a frase era mais ou menos assim “eu te amo, não é bom dia”!

A lição demorou pra ser aprendida e hoje eu tiro muito disso, percebendo tudo sob um, outro espectro é que no fundo quem disse isso, por mais inveja minha que tivesse naquele momento, mais cedo ou mais tarde, estaria certa…

A gente não pode sair por ai dizendo eu te amo a torta e a direita, a gente precisa sentir e sentir isso com intensidade. E mais que isso, renovar esse sentimento a cada singolo dia por mais banal que parece ser! Porque é assim que as coisas se perduram, sendo renovadas, sendo reabastecidas…sendo valorizadas!

Estou meio deboli ultimamente pra isso, mas, espero me recuperar e reconquistar todas essas coisas boas com o tempo e dando muito mais valor e importância as simples risadas do dia a dia.

Eu já perdi a conta de quantas coisas eu já prometi aos outros e não fui capaz de cumprir nem metade…

Agora eu resolvi parar de querer mudar o mundo, e de querer transformar as pessoas.

Agora eu passei a prometer as coisas a mim mesma, porque é isso o que no final das contas realmente importa. Nada e nem ninguém pode ser mais importante do que eu, nada nem ninguém poderá viver a minha vida por mim e dos meus erros e desenganos só eu saberei e serei responsável no final disso tudo.

Bem, devo confessar que escrever é fácil, bonito e até bastante motivador, mas, isso não vai acontecer da noite pro dia… Então eu ainda tenho muito que me aprender. E eu sei muito bem disso…

No fundo, todas as coisas continuam iguais, no fundo todas as coisas mudaram pra caramba, mas agora eu que enxergo e percebo tudo diferentemente do que costumava (não) fazer.

E sabem o que é pior disso tudo, é se dar conta de que a “cura” pra que nada de ruim tivesse assim acontecido com tanta força, esteve ali sempre ao meu (ao nosso) alcance. E se chama tolerância…

Agora a gente percebe que eram tudo bobagens…mas que querendo ou não magoaram.

Quanto tempo gastamos com as coisas bobas e erradas heim meu amor?

Você consegue me dizer isso?

S2