Posts Tagged ‘tolerancia’

Learning part II

July 31, 2009

Há um tempo eu acreditava que era muito difícil brincar de ser adulto quando ainda se é muito criança… Mas eu vejo que eu estava errada. Não é difícil brincar de ser adulto, isso é fácil, o que é difícil na real, é ser adulto de verdade…

Às vezes eu não queria crescer nunca. Eu me lembro dos doces escondidos na gaveta da sala e isso era tão bom! Saudades da minha vozinha querida …

Com o passar dos anos a gente vai crescendo e as coisas perdendo um pouco da mágia, tudo fica muito mais prático, mais simples, mais sem graça mesmo eu diria…

Eu morro de vontade de descobrir algo realmente novo todos os dias. Mais que isso, às vezes eu só queria que as pessoas ao meu redor notassem e sentissem uma empolgação nova e diferente de algo simples e cotidiano. Seria tão bom!

Sabem, tentar respirar o ar como se fosse à primeira vez. De vez em quando, quando eu estou numa super vibe do bem, eu consigo sentir o sol na minha pele, eu consigo ver as cores multicoloridas numa bolha de sabão, eu consigo imaginar o gosto de um cheiro, ou o cheiro de uma imagem, ou o gosto de um som e eu até consigo dormir bem sem sonhar com nada, e quando isso me acontece sinto-me criança de novo… (Besteira minha eu sei.)

Eu não queria não ter a preocupação de tentar fazer tudo dar sempre certo porque isso é muito complicado e não depende só de mim. Eu ainda estou num grande processo de adaptação, de aprendizagem dessa vida de gente grande e às vezes eu me perco um pouco…

Eu sei que tudo o que acontece em nossas vidas serve muito para a gente perceber melhor as coisas e pra aprender a se perceber também, eu só preciso praticar mais isso. A parte do “eu sei” eu já sei; agora só falta eu aprender ou começar a praticar mais a parte do “eu faço”!

Eu gosto muito de uma frase que diz, mais ou menos assim:

CADA UM SABE A DOR E A DELICIA DE SER O QUE É!

Eu já cansei de tentar mudar o mundo, de transformar as pessoas,  e eu tenho aprendido muito sobre TOLERÂNCIA…e devo confessar que é muito difícil.

Mas uma certeza eu tenho, com o passar do tempo, as peças formam o todo de novo! E já que a vida é um jogo, a minha é um repleto quebra-cabeça que eu gosto tanto!

S2

Era tudo bobagem…

July 24, 2009

Demorei pra entender, mas acho que depois que perdi muitas e várias coisas, comecei a compreender. Mesmo sem ainda ver muito sentido nisso tudo.

Sempre reclamava dos problemas da minha vida, e não via nenhum problema nisso. Mas eu percebi que as pessoas mais próximas acabaram se cansando e, lógico se afastando (normal)…

Todos são na verdade como eu; precisam de uma novidade bombástica a cada novo dia, pra vida continuar tento graça; a diferença está naqueles que conseguem ver isso e nos que são os que eu denomino “cegos-sociais”. E sobre isso eu prefiro me abster.

Ando meio cética em relação ao amor…não à pessoa que eu amo , o Vitor Shalom, e que supostamente também já fez o mesmo por mim, mas sim, a esse sentimento que muitas vezes é talmente banalizado, e que, acaba perdendo o sentido real e coletivo (se é mesmo que se pode generalizar).

Uma vez eu escutei de alguém, e não quis muito acreditar, lógico porque estava apaixonadíssima… mas a frase era mais ou menos assim “eu te amo, não é bom dia”!

A lição demorou pra ser aprendida e hoje eu tiro muito disso, percebendo tudo sob um, outro espectro é que no fundo quem disse isso, por mais inveja minha que tivesse naquele momento, mais cedo ou mais tarde, estaria certa…

A gente não pode sair por ai dizendo eu te amo a torta e a direita, a gente precisa sentir e sentir isso com intensidade. E mais que isso, renovar esse sentimento a cada singolo dia por mais banal que parece ser! Porque é assim que as coisas se perduram, sendo renovadas, sendo reabastecidas…sendo valorizadas!

Estou meio deboli ultimamente pra isso, mas, espero me recuperar e reconquistar todas essas coisas boas com o tempo e dando muito mais valor e importância as simples risadas do dia a dia.

Eu já perdi a conta de quantas coisas eu já prometi aos outros e não fui capaz de cumprir nem metade…

Agora eu resolvi parar de querer mudar o mundo, e de querer transformar as pessoas.

Agora eu passei a prometer as coisas a mim mesma, porque é isso o que no final das contas realmente importa. Nada e nem ninguém pode ser mais importante do que eu, nada nem ninguém poderá viver a minha vida por mim e dos meus erros e desenganos só eu saberei e serei responsável no final disso tudo.

Bem, devo confessar que escrever é fácil, bonito e até bastante motivador, mas, isso não vai acontecer da noite pro dia… Então eu ainda tenho muito que me aprender. E eu sei muito bem disso…

No fundo, todas as coisas continuam iguais, no fundo todas as coisas mudaram pra caramba, mas agora eu que enxergo e percebo tudo diferentemente do que costumava (não) fazer.

E sabem o que é pior disso tudo, é se dar conta de que a “cura” pra que nada de ruim tivesse assim acontecido com tanta força, esteve ali sempre ao meu (ao nosso) alcance. E se chama tolerância…

Agora a gente percebe que eram tudo bobagens…mas que querendo ou não magoaram.

Quanto tempo gastamos com as coisas bobas e erradas heim meu amor?

Você consegue me dizer isso?

S2